Indústria de Máquinas e Equipamentos teve alta de 21,6%

Indústria de Máquinas e Equipamentos teve alta de 21,6%

Imagem: PartesPro
Por: Santelmo - M&TExpo

Indústria de Máquinas e Equipamentos teve alta de 21,6% no faturamento em 2021 
De acordo com a Abimaq, esse foi o quarto ano seguido de aumento nas vendas e os resultados reforçam o ciclo de recuperação iniciado após 2017 

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) divulgou um balanço que mostra que a receita líquida do segmento cresceu 21,6% em 2021 frente aos resultados observados no ano anterior. Ainda de acordo com o estudo, a média de receita mensal foi de R$ 18,5 bilhões em 2021, já o total anual atingiu a marca de R$ 222,4 bilhões. Esse foi o quarto ano seguido de aumento nas vendas, o que mostra que os investimentos continuam no ciclo de recuperação após atingirem um nível extremamente baixo em 2017.

Entretanto, quando analisados os dados de dezembro último, percebe-se que as receitas líquidas das vendas permaneceram na trajetória de desaceleração iniciada no segundo semestre do ano. Neste mês, a receita total foi de R$ 17,1 bilhões — retração de 6,9% na comparação com novembro. Porém, o montante representa uma alta de 0,4% em relação a dezembro de 2020. O material da Abimaq mostra, também, que a receita líquida interna em dezembro recuou 9,9% contra dezembro de 2020 e 20,3% na comparação com novembro.

Em relação ao total de profissionais atualmente empregados pela indústria de Máquinas e Equipamentos, o número chegou a 367,5 mil trabalhadores no último mês de dezembro.

Importações e exportações 

Em dezembro de 2021, as exportações de máquinas e equipamentos reduziram 31,8% frente a novembro. Mas, no acumulado do ano passado, houve um aumento de 34,2% nas vendas para outros países — negócios que renderam para o setor US$ 9,38 bilhões. Já em relação as importações, foi observado um crescimento de 7,3% em dezembro na comparação com novembro. Considerando o acumulado de 2021, a alta nas importações foi de 23,4%.

De acordo com a Abimaq, as importações estão estabilizadas no mesmo patamar atingido no período pré-pandêmico, ou seja, em torno de US$ 1,8 bilhão mensalmente.